Home / Bem Estar / Você sabe qual a diferença entre urticária e alergia?

Você sabe qual a diferença entre urticária e alergia?

1506532624-534869582-810x471

Especialista responde às dúvidas dos pacientes

 

Cerca de 20% da população apresenta um episódio de urticária em algum momento da vida. O Dr. Luís Felipe Ensina, Coordenador do Deptº. Científico de Urticária da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), responde dúvidas que chegam ao consultório.

O que é urticária?

A urticária se manifesta com lesões (empolações) avermelhadas na pele, que coçam muito e incomodam bastante. Podem ter tamanhos diferentes e se juntar formando placas, que duram até 24 horas, e quando somem, não deixam marcas ou cicatrizes. As mesmas lesões podem reaparecer em seguida, em outras partes do corpo.

Em algumas pessoas, a urticária pode vir acompanhada de angioedema (inchaço). O angioedema pode ocorrer em qualquer parte do corpo sendo mais comum nas pálpebras e lábios. Na maior parte das vezes, não coça e pode ser acompanhado de dor ou queimação. Além disso, desaparece mais lentamente.
Quais os tipos de urticárias?

Existem dois tipos, são eles:

Aguda - que dura menos tempo, no máximo seis semanas. É a mais frequente e ocorre principalmente nas crianças e adultos jovens. Nas urticárias agudas pode haver um mecanismo alérgico, como camarão ou medicamentos.

Crônica - com duração igual ou superior a seis semanas. Atinge mais mulheres entre 25 a 45 anos de idade.

A urticária crônica, por sua vez, pode ser dividida em 2 subtipos:

- Urticária crônica espontânea: que é a mais frequente e as lesões surgem sem que se encontre qualquer fator externo responsável.

- Urticária crônica induzida: em que as lesões são desencadeadas por fatores externos específicos (exemplo frio, calor), identificados pela história clínica e testes de provocação.

 

Toda urticária é alergia?

A urticária pode ser a manifestação de uma alergia. Por exemplo, um indivíduo que ingere camarão e desenvolve urticária pelo mecanismo alérgico. O sistema imunológico reconhece a proteína do camarão como algo estranho, e acaba resultando na manifestação clínica que é a urticária.

 

E no caso de urticária crônica espontânea (UCE)?

No caso da UCE, na maioria das vezes, não existe o mecanismo alérgico citado acima, ou seja, não advém de algo de fora, como a ingestão de um alimento, por exemplo. O que acontece é uma reação do sistema imunológico contra alguma proteína do próprio corpo. Essa reação pode ter dois tipos de mecanismos, sendo que um deles é como se fosse uma reação alérgica. Portanto, nas UCEs a autoimunidade é que está em questão.

 

Fonte: ASBAI

A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia existe desde 1972. É uma associação sem finalidade lucrativa, de caráter científico, cuja missão é promover a educação médica continuada e a difusão de conhecimentos na área de Alergia e Imunologia, fortalecer o exercício profissional com excelência da especialidade de Alergia e Imunologia nas esferas pública e privada e divulgar para a sociedade a importância da prevenção e tratamento de doenças alérgicas e imunodeficiências. Atualmente, a ASBAI tem representações regionais em 21 estados brasileiros.

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top