Home / Família / Que tipo de pai ou mãe você quer ser?

Que tipo de pai ou mãe você quer ser?

 

Educadora Parental e Coach de Pais Telma Abrahão dá dicas de como fazer a diferença na criação dos filhos

Você já se fez essa pergunta? Será que você é hoje a mãe ou o pai que gostaria de ser? Ou está apenas copiando um modelo conhecido porque ainda não aprendeu a fazer diferente? Você quer ser lembrado por ser um pai ou mãe que apoia e encoraja, ou como alguém que briga, não tem paciência e machuca com palavras ou atos impensados?

 

Se a sua resposta não o faz feliz, calma! Ainda dá tempo de aprender a fazer diferente. A Educadora Parental e Coach de Pais Telma Abrahão preparou 10 dicas para vocês:

 

1) Seja gentil na hora de corrigir os erros do seu filho. Erros são oportunidades de aprendizado e não motivos para castigo.

 

2) Desenvolva o auto controle. Respire fundo antes de reagir por impulso ou com raiva. Você esquecerá uma atitude agressiva que teve, mas seu filho lembrará pelo resto da vida.

 

3) Aceite o seu filho como ele é e não como você gostaria que ele fosse. Ajude-o a se tornar sua melhor versão. Todo mundo deseja ser amado e apreciado como realmente é.

 

4) Olhe nos olhos! Beije e abrace! Criar conexão, afeto e contato físico deixa a criança muito mais calma, tranquila e segura.

 

5) Afaste-se do celular no final do dia e dedique tempo de qualidade. É fundamental estar presente de corpo e alma. Pseudo presença não alimenta a necessidade emocional das crianças e daí surgem os maus comportamentos.

 

6) Brinquem e divirtam-se juntos. Essa atitude criará muitas memórias felizes.

 

7) Não critique o seu filho e nem outras pessoas na frente dele. Pratique a aceitação e ensine respeito ao próximo.

 

8) Pratique a escuta ativa. Escute o que o seu filho tem a dizer com atenção e empatia! Essa atitude aprofunda a relação entre vocês.

 

9) Os pais são o melhor presente na vida de seus filhos. Nada no mundo substitui o seu amor e dedicação. Honre essa missão.

 

10) Encoraje-os. Deixe que seus filhos tenham liberdade para experimentar a vida, com segurança claro. Permita que se sujem na areia do parquinho e que brinquem livremente. Permita que eles façam as próprias escolhas (que roupa vestir, que sapato usar). Não faça por eles o que já podem fazer sozinhos. Isso desenvolve a autoestima e o senso de capacidade.

 

E então, o que acharam? Vamos começar hoje mesmo?

Fonte: Telma Abrahãotelma

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top