Home / Quero Engravidar / Infertilidade: questões da mulher moderna

Infertilidade: questões da mulher moderna

mulher-pensando-g-

A entrada da mulher no mercado de trabalho tem postergado as decisões em relação ao casamento e a gravidez para idades superiores as ideais, quando se trata de fertilidade. Sem se dar conta, os casais que adiam a maternidade criam também um problema futuro.

 

Dentro deste processo contínuo, após os 35 anos, o número de óvulos capazes de serem fertilizados começa a diminuir. Os restantes correspondem à reserva ovariana, um estoque de óvulos disponíveis que pode ser utilizado em casos de infertilidade.

 

São vários os motivos que impedem a reprodução das mulheres. Das disfunções da ovulação às doenças congênitas, passando pelas sexualmente transmissíveis. Há muitas variáveis a serem consideradas quando ela não consegue engravidar.

 

Fundamental para a gestação, a ovulação é um processo no ciclo menstrual no qual o folículo ovariano maduro rompe e libera o oócito na trompa de falópio. Algumas mulheres se dão conta de quando ovulam porque sentem determinadas sensações corporais. Segundo o ginecologista e especialista em Reprodução Humana do Instituto Verhum, Dr. Vinicius Medina Lopes, se a paciente menstrua normalmente com ciclos regulares, ela está ovulando. No entanto, as disfunções da ovulação são fatores que podem interferir na fertilidade da mulher.

 

“As mulheres que apresentam disfunções ovulatórias, normalmente apresentam alterações nos hormônios do hipotálamo, hipófise e ovário, acarretando alterações como ciclos menstruais irregulares, muito prolongados ou muito curtos, bem como outras alterações”, diz o médico.

 

O hormônio folículo estimulante (FSH) é um dos indicativos da reserva ovariana da mulher. De acordo com o especialista, a idade da mulher é um fator importante nas taxas de gestação. Após os 35 anos, a produção de óvulos capazes de serem fertilizados e formarem embriões em condições de se implantarem no útero se reduzem, diminuindo as taxas de gestação.

 

Entretanto, a fertilidade não é um problema que diz respeito somente a mulher. Segundo estudos, 40% das dificuldades de engravidar são de causas femininas, 40% de causas masculinas e 20 % correspondem à intersecção dos dois grupos.

 

Em casais jovens, as chances de engravidar é de 15% a 20% ao mês, sem nenhum problema no homem ou na mulher. Nos casais com vida sexual ativa e tentativa de gravidez espontânea, a chance de gravidez é de 82%, no prazo de um ano.

 

Já para as mulheres acima de 40 anos esse número cai para menos de 10%. Com a utilização de bancos de sêmem e as novas tecnologias os números podem aumentar para 16% e até 17%.

 

Fonte: Dr. Vinicius Medina Lopes

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

'
Scroll To Top