Home / Quero Engravidar / Infertilidade masculina: precisamos falar sobre isso!

Infertilidade masculina: precisamos falar sobre isso!

428a12_f5d162ae28ad4d5cb2c9274b55db0979_mv2

*por Dr. Alfonso Massaguer

O machismo é um traço de comportamento ainda muito presente e forte em nossa cultura, por isso é obrigatório avaliarmos o papel do homem quando um casal que deseja engravidar não consegue. Essa raiz machista da nossa sociedade faz com que a mulher ainda assuma ou puxe para si a responsabilidade ou até mesmo a culpa nos casos de infertilidade do casal, mas é preciso deixar claro que em pelo menos metade dos casos é o homem que possui alteração na qualidade do sêmen e passar pelo tratamento desse problema pode ser decisivo para se obter uma gravidez.

Não estamos aqui para buscar ou apontar culpados, apenas explicar a infertilidade masculina, que é uma alteração na quantidade ou qualidade dos espermatozóides. Pode estar associada ou não a doenças na parceira e pode ser a responsável por gerar uma dificuldade ou impossibilidade para o casal engravidar. É um problema que ocorre, aproximadamente em 1 de cada 20 homens e 1% deles terá ausência de espermatozóides na ejaculação, o que chamamos de azoospermia.

“As causas para a infertilidade masculina são variadas e em muitos casos desconhecidas. Dois terços dos homens terão como fator principal para o problema alterações na produção do sêmen, com baixa produção e/ou função destes, o que pode se refletir na baixa motilidade e mudanças na forma dos espermatozoides”, explica o ginecologista e diretor médico da Clínica Mãe, Alfonso Massaguer. O médico, que é especialista em reprodução humana assistida pelo Instituto Universitário Dexeus (Barcelona) e membro da Federação Brasileira da Associação de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), esclarece que aprodução de sêmen pode ser afetada por uma série de fatores como infecções, varizes nos testículos (varicocele), tumores, alterações hormonais, quimioterapia, radioterapia, traumas, carências nutricionais, alterações de sono, medicamentos (como anabolizantes), torção e mau posicionamento testicular (alto), e alterações cromossômicas ou genéticas.

Estes fatores podem ser conhecidos ou não, reforçando que na maioria dos casos a causa não é conhecida. Apesar do estigma relacionado a impotência e virilidade masculina, mais um traço da cultura do machismo na nossa sociedade, a maioria destes homens não terá qualquer sintoma aparente, isto é, não apresentará quaisquer disfunções sexuais ou alterações no aspecto do sêmen. Sendo assim, considero injusto imputar a mulher toda a responsabilidade e é por tudo isso que precisamos tanto falar sobre a infertilidade masculina.

Dr. Alfonso Araújo Massaguer - CRM 97.335 - www.mae.med.br    

É Médico pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Ginecologista e Obstetra pelo Hospital das Clínicas e Especialista em Reprodução Humana pelo Instituto Universitário Dexeus – Barcelona. Dr. Alfonso é diretor clínico da MAE (Medicina de Atendimento Especializado) especializada em reprodução assistida. É membro da Federação Brasileira da Associação de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e das Sociedades Catalãs de Ginecologia e Obstetrícia e Americana de Reprodução Assistida (ASRM). Também é diretor técnico da Clínica Engravida e autor de vários capítulos de ginecologia, obstetrícia e reprodução humana em livros de medicina.

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top