Home / Amamentação / Exercício, alimentação, vínculo e muito mais…

Exercício, alimentação, vínculo e muito mais…

mae

O ato de amamentar traz diversos benefícios até para os dentes do bebê. O gesto de amor ajuda no desenvolvimento da arcada dentária    

       Ao mamar no peito, a criança não está sendo apenas alimentada, mas está também realizando um exercício físico muito importante para o desenvolvimento da estrutura e musculatura oral.

O recém-nascido é guiado por dois instintos, o da alimentação e o de sucção. O aleitamento materno satisfaz os dois instintos. O bebê toma nos primeiros minutos o leite e nos minutos seguintes, junto ao seio, satisfaz os seus instintos de sucção.

Ao utilizar a mamadeira, a criança atinge a sua satisfação alimentar mais rápido ainda, pois o fluxo sai fácil, principalmente se o furo do bico for aumentado.

‘Quando isso ocorre, ela não sacia sua necessidade de sucção e, portanto sua exigência emocional não é satisfeita. Nestes casos, a criança inicia sucção não-nutritiva para satisfazer suas necessidades psicoemocionais’, explica a odontopediatra Ludmila Rosa.

Crianças que recebem amamentação materna exclusiva nos primeiros seis meses de vida têm menos chances de adquirir hábitos de sucção não nutritivos, como sugar os dedos ou chupeta.

A odontopediatra, que dedica seu trabalho há mais de dez anos ás crianças, aconselha que para manutenção da amamentação materna, é fundamental que sejam eliminados, na medida do possível, o uso de objetos orais, como chupetas e mamadeiras, sendo que o mecanismo de sucção dos bicos é completamente diferente da técnica das mamadas.

 

Quando a amamentação natural não for possível devem-se evitar ao máximo os efeitos prejudiciais do uso de mamadeiras como:

 

  • O bico deve ser o mais parecido com o mamilo materno (tipo ortodôntico);
  • Conservar o orifício original do bico (para que o lactente tenha um esforço muscular semelhante ao exigido na amamentação natural);
  • O bebê deve ser posicionado aproximadamente a 45 graus do plano horizontal;
  • Quanto ao tempo do desmame, deve acontecer em torno de um ano (mas ainda não existe consenso a esse respeito).

Os bebês apresentam grande necessidade de sucção nos três primeiros meses de vida. A partir do sétimo mês, o reflexo da sucção é considerado neurofisiologicamente desnecessário, pois a criança inicia o amadurecimento das estruturas neuromusculares visando os movimentos de comer e beber coordenadamente. A função da sucção deve ser gradualmente substituída pela mastigação.

Durante a amamentação, a respiração dá-se, exclusivamente, pelo nariz, principal estímulo para o correto crescimento e desenvolvimento da face. Além disso, a sucção é a primeira fase da mastigação, é a mastigação antes da evolução neurológica, sendo que nas duas fases trabalham os mesmos músculos.

A fase da sucção não realizada corretamente ou mal conduzida leva à falência do correto desenvolvimento das estruturas que irão garantir a perfeita evolução da função seguinte, a mastigação.

“O desmame deve acontecer a partir dos seis meses de vida. Isto porque é nesse período que começam a erupcionar os primeiros dentinhos. Aos 12 meses, a criança já está apta para o desmame total”, completa Dra.Ludmila.

 

Quando os dentinhos aparecem é o momento de se iniciar a mastigação. Não é indicado que a mãe nesse momento introduza a mamadeira. Os alimentos devem ser fornecidos amassados até nove meses, dados com colher, e os líquidos em copos. Aos poucos devem ser introduzidas frutas, cereais e outros alimentos, diminuindo assim as mamadas.

O uso de mamadeiras deve ser eliminado entre seis e dez meses de idade, no máximo um ano e meio. O abandono do acessório depende da maturidade emocional e da habilidade física da criança. Respeite.

 

 

 

 Fonte: Ludmila Rosa – odontopediatra

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top