Home / Mulher Materna / Varicocele: inimiga da fertilidade

Varicocele: inimiga da fertilidade

varicocele

Ter um filho é o objetivo de muitos casais. Porém, nem sempre a gravidez ocorre naturalmente. As tentativas sem sucesso e os empecilhos no meio do caminho acabam frustrando e desestimulando os futuros pais.

Considerado fenômeno universal, a infertilidade atinge aproximadamente 15% dos casais, sem restrição cultural ou social. Ainda que preconceituosamente reconhecido como uma dificuldade feminina, os homens fazem parte dessas percentagens.

“A investigação das causas masculinas por um urologista é tão necessária quanto a ida da mulher ao ginecologista. Deve ser realizada por marido e mulher ao mesmo tempo, pois o tratamento da infertilidade, no final das contas, é sempre conjunto”, afirma o andrologista  e professor do Curso de Pós-Graduação em Infertilidade Humana do Instituto de Ciências da Saúde, Rodrigo Lessi Pagani.

Problema comum na ala masculina, a varicocele, dilatação anormal das veias testiculares,é uma das causas de infertilidade que aparece entre os 12 ou 13 anos até os 25 ou 30 anos. Ela é causada por uma inversão no sentido do sangue nestas veias. Ao invés de subir, ele desce de volta ao testículo.

“Esse acúmulo de sangue pode dificultar o retorno venoso e aumentar a temperatura local, o que causa uma piora na qualidade do sêmen, gerando uma diminuição na qualidade e na capacidade de fertilização do óvulo”, explica Rodrigo.

Contudo, há os casos precoces que acometem as crianças. Ao apalpar a região atrás do testículo, pode-se perceber um emaranhado de vasinhos parecido com um novelo de lã e que, em certos casos, pode até ser visível. Isso é sinal de que as veias começaram a se dilatar.

O médico ainda esclarece que a doença não causa distúrbios na potência sexual, e que os prejuízos são somente para a reprodução. Para tratá-la, a solução é cirúrgica, assim realiza-se a ligadura das veias dilatadas, interrompendo o refluxo de sangue aos testículos.

“O controle é feito três, seis e até nove meses depois da cirurgia, respeitando o tempo de produção das ‘novas safras’ de espermatozóides. Em média, o tratamento melhora o sêmen em até 60% dos pacientes e aumenta as chances de gravidez em até 40%”, conta o especialista.

É importante lembrar que a análise clínica é essencial para o tratamento e a verificação da necessidade real da microcirurgia. Para que seja, de fato, classificado como infertilidade, o casal deve ter relações sexuais constantes, no mínimo, durante um ano. Então, se não ocorrer a gravidez naturalmente nesse período deve-se procurar ajuda médica.

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top