Home / Manual do Bebê / Pediatra dá dicas de como proteger seu bebê de picadas de insetos

Pediatra dá dicas de como proteger seu bebê de picadas de insetos

61

Medidas físicas como uso de roupas adequadas e instalação de telas mosquiteiras nas janelas estão entre as recomendações

Proteger seu bebê dos insetos nem sempre é uma tarefa fácil. O risco mais comum para os pequenos é a reação alérgica, porém, de acordo com a médica pediatra Angela Gobbo, inflamações ou infecções da célula, causadas por picada ou coçadura pós-picada, estão entre as principais causas de internação hospitalar. Além disso, existem ainda doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti como dengue, febre amarela, chikungunya e zica; o berne, transmitido pela mosca varejeira; e a malária, transmitida pelo mosquito Anopheles.

Como se sabe, até os seis meses o uso de repelente é contra indicado, sob o risco de intoxicação e reação alérgica. De seis meses até os dois anos de idade o uso é limitado a dois tipos: IR3535, que não combate o Aedes Aegypti, e a Icaridina, que é um derivado da pimenta, seguindo sempre as orientações do fabricante. Além destes citados, para os maiores de 2 anos, recomenda-se o uso de DEET e também o óleo de citronela. Portanto, medidas físicas serão sempre muito bem-vindas. Por isso a pediatra recomenda uso de roupas com mangas longas e calças compridas, de preferência de tonalidade clara, e evitar o uso de perfumes, que podem atrair insetos.

Outra opção seria o uso de mosquiteiros de berço, barreira física indicada pela Sociedade Brasileira de Pediatria, como proteção à picada de inseto, mas que exige cuidado e higiene adequada. “Primeiro porque acumula poeira, o que pode gerar alergia de pele e problemas respiratórios no bebê, segundo porque precisamos garantir sua segurança. Não podemos correr o risco de que o equipamento caia sobre o bebê ou até se enrosque nele”, salienta.

Muitos pais acabam investindo nessa proteção que, além das implicações citadas pela pediatra, tem a limitação de espaço, deixando os pequenos expostos ao risco de serem picados quando precisam se alimentar, tomar banho e trocar as fraldas ao longo do dia. E como a maior incidência de mosquitos, principalmente o Aedes Aegypti, ocorre nos períodos de nascer e pôr do sol e, com as altas temperaturas, comuns desta época do ano, quanto mais tempo as janelas permanecerem abertas, menos abafado ficará o ambiente. Pensando nisso é que a Block Insetos desenvolveu um sistema de tela mosquiteira magnética, que além do acabamento discreto, incapaz de interferir na decoração do quarto dos pequenos, tem a vantagem de vedar integralmente a janela, em qualquer ambiente onde seja instalada. A tela é uma aliada essencial, que impede a entrada de mosquitos e outros tipos de insetos, já que, com ela, a janela poderá permanecer aberta, permitindo a circulação do ar e a segurança dos pequenos.

Quem concorda com isso é a fisioterapeuta Luciana Gois Zanetti, a mamãe da pequena Alice, que em fevereiro deste ano completou três meses de vida. “Era insuportável ficar em casa com as janelas fechadas, mas eu fazia meu marido e filho mais velho aguentarem o calor, pois tinha muito receio de entrar algum inseto e picar a minha filha, que ainda era muito novinha. A sensação de abrir as janelas e deixá-las abertas até mesmo de noite, sabendo que nenhum inseto entraria, foi maravilhosa”, afirma.

Opinião compartilhada pela professora Deborah Araújo, mãe do Fernando, de 2 anos e 5 meses, que ressalta a importância da tela para quem tem bebê em casa. “Com todos esses casos de zika que temos no país, a tela é de total importância para proteger os pequenos. Adorei tê-la em minha casa. Além da eficiência, tem a praticidade na montagem, meu marido mesmo que montou, em uma tarde”, comenta.

A tela mosquiteira da Block Insetos, produto único e patenteado, foi idealizado pela empresária Luane Moliterno, de 29 anos, com base em soluções efetivas já adotadas em países como Alemanha, Austrália e China, possui um sistema de fitas magnéticas que possibilita sua fixação em diferentes tipos de superfície como alumínio, madeira, PVC, alvenaria ou ferro e está disponível em dez diferentes tamanhos.

HISTÓRIA Sabe-se que nos últimos anos o Brasil tem enfrentado um crescente aumento de doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti. Fato este que levou muitas mulheres a adiar o sonho de ser mãe, como uma amiga da empresária Luane Moliterno, que suspendeu seus planos com medo dos efeitos causados pelo zika vírus. Com essa situação em mente, a empreendedora pesquisou soluções práticas e de custo acessível, que permitissem não somente a amiga, como qualquer pessoa, proteger sua casa ou empresa da ação dos mosquitos ou de quaisquer outros insetos. Assim nasceu a tela mosquiteira magnética Block Insetos.

 

Fonte: A Block Insetos, com suas características, tornou-se um parceiro essencial na prevenção da propagação do zika vírus, o que chamou atenção do Ministério da Saúde que, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realizou este ano a 1ª Feira de Soluções para a Saúde – Zika, para a qual a idealizadora da Block Insetos, Luane Moliterno, foi convida a falar sobre a solução. O evento aconteceu em Salvador (BA), em agosto deste ano, e reuniu soluções de produtos, serviços e ações de combate e prevenção às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Além de participar da Feira, a Block Insetos, ao lado de outras iniciativas criativas e inovadoras, passou a integrar um banco de dados de soluções para saúde.

Link para acesso a vídeos da Block Insetos

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top