Home / Mulher Materna / Maternidade e sexualidade: uma combinação importante

Maternidade e sexualidade: uma combinação importante

homem-e-mulher-gravida-deitados-na-cama-trocando-carinhos-foto-bikeriderlondonshutterstockcom-0000000000016646

Psicólogos destacam a importância da mulher entender as fases da sua sexualidade sem anulá-la por conta da maternidade

Ser mãe é o sonho de muitas mulheres. A confirmação positiva da gestação representa a consolidação da família e o início de uma nova etapa na vida amorosa. Romanceada por muitas, a maternidade pode acabar afetando a vida conjugal e a sexualidade femininas por diferentes motivos.

Os psicólogos Carla Zeglio e Oswaldo M. Rodrigues Jr., do Instituto de Sexualidade Paulista (InPaSex), lembram que o corpo feminino é regido por ciclos e hormônios, o que já colabora para que o desejo sexual seja afetado em variados momentos da vida. “Durante a gestação, por exemplo, há uma queda acentuada no desejo, porque gerar uma nova vida exige muita energia do corpo dela e os hormônios destinam-se a promover a gravidez e colocam a mulher mais lentificada”, contam. Após a chegada do bebê, muitas mulheres perdem o desejo sexual temporariamente por conta das mudanças no corpo e da nova rotina, e por medos irracionais relativos à relação sexual. “Ela se sente desconfortável com suas novas curvas ou tem medo de sentir dor, dependendo do tipo de parto que teve. Cada caso é muito específico e deve ser compreendido e orientado adequadamente”, destacam os profissionais do InPaSex.

O papai também precisa ser parceiro da nova mãe. “Ele também tem uma nova rotina e precisa apoiar sua companheira, demonstrando todo o seu afeto neste momento. O marido que pressiona, que briga e reclama pode colaborar para que a mãe fique com mais medos de não ser capaz de voltar ao papel de ser mulher e para a vida sexual. Outro problema possível a ser enfrentado é a depressão pós-parto”, orienta Oswaldo.

E não são apenas as mães recentes que precisam cuidar da sexualidade. “A mulher precisa compreender que ela tem diferentes papéis em sua vida. Ela não é apenas mãe. A maternidade é parte do seu dia, mas não a define por completo. A mulher também é filha, amiga, profissional e amante”, lembra Carla. Por isso, por mais que a rotina esteja puxada e os cuidados com os filhos seja cansativa, é importante separar um momento do dia para ficar a sós com o parceiro e manter a paixão acesa. De acordo com os psicólogos, não há uma receita pronta – cada casal tem a sua –, mas a mãe que é feliz, se sente amada e está satisfeita sexualmente, certamente fará seu filho também feliz. Construir um plano para atravessar os primeiros meses é uma necessidade que o casal precisa construir durante a gravidez.

Fonte:  Carla Zeglio

Deixe seu comentário

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

'
Scroll To Top